Gerenciamento de Resíduos Sólidos


Destinação adequada e mitigação de impactos que podem salvar o nosso planeta


Apesar de o gerenciamento de resíduos sólidos ser preocupação em qualquer esfera de governo, é no âmbito municipal que ele se faz mais presente. Afinal, são os cidadãos das cidades que terão o impacto da poluição destes resíduos em sua vida diária, caso estes não tenham a destinação adequada.

Este é o cenário desagradável com o qual a maioria dos moradores de grandes cidades são obrigados a conviver: Rios poluídos com todo tipo de resíduo, lixões, aterros clandestinos, ruas muito sujas e odores ruins certamente ilustram bem esse fato.

Evidentemente esse problema é de alcance global, ou seja, afeta praticamente todas as cidades do planeta. Contudo, são nas cidades dos países pobres ou em desenvolvimento que os impactos se fazem mais fortes.

Podemos exemplificar com o caso de Bhopal, na Índia. Esse município infelizmente é famoso pelo vazamento de gases tóxicos, ocorrido na década de 1980, em razão de falha de operação de uma famosa empresa da época chamada Union Carbide, que ocasionou a morte de milhares de pessoas enquanto dormiam (a empresa faliu em razão do ocorrido).

Bhopal tem 1.844.000 habitantes (censo 2014) e em 2011 gerava 569 toneladas diárias de resíduos. Em 2015 esse número passou para 700 toneladas diárias e a projeção para 2021 é de 886 toneladas diárias.

Não há um percentual do quanto esses resíduos são despejados em locais a céu aberto no município, mas o número global da Índia é de 92%, por isso é provável que Bhopal fique em torno desse número, com o agravante de que o local principal de despejo encontra-se atualmente dentro do próprio município (esse tipo de problema é recorrente nas maiores cidades em razão do crescimento populacional).

Sendo a Índia o segundo país mais populoso do mundo e com índices de pobreza elevados, a questão que envolve a disposição de resíduos (neste caso não só os sólidos), têm impactos diretos nas cidades e, como não podia deixar de ser, na saúde das pessoas. Neste caso também não se pode esquecer que existem milhares de pessoas que para sobreviver ficam a procura de resíduos sólidos nestes locais de despejo com o objetivo de venda para futura reciclagem.

Trabalhos para mitigar esses impactos estão sendo feitos na cidade de Bhopal e no mundo, no entanto, o cenário se apresenta ainda bem distante de algo adequado.


Luis Alfredo Sencovici

Graduado em Tecnologia em Construção Civil - (Universidade Mackenzie). Pós –graduado em Administração Geral - (Centro Universitário da FEI); História, Sociedade e Cultura - (PUC-SP); Economia e Meio Ambiente - (UFPR); Mestre em Administração com ênfase em Gestão da Inovação, tendo como dissertação o tema “ Logística Reversa em óleos lubrificantes e suas embalagens” - (Centro Universitário da FEI). Atuação durante 5 anos como docente do SENAC São Paulo nas disciplinas de empreendedorismo, administração e finanças.


Referência: PANDEY, B, K. et al. Characterisation of municipal solid waste generated from Bhopal, India. Current Science Perspectives, Bhopal, v.2, n.3, p.52-56, Jul.2016. Disponível em: <http://bosaljournals.com/csp/images/pdffiles/24CSP.pdf>. Acesso em 14 mar.2016.


Foto: Folha de São Paulo

#sustentabilidade #gerenciamentoderesiduos #meioambiente #gestãoambiental

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square